sábado, 4 de abril de 2009

CAPÍTULO I - ISABELLA

Como o desabrochar de uma flor uma criança nasce. Os seus olhos mais parecem botões de rosa que se abrem como pétalas, mas logo se fecham. A luz do Mundo onde ela acaba de chegar é tão forte que os seus olhos não resistem à chama de um candeeiro de petróleo que estava sobre a mesa de cabeceira, junto ao berço de verga, onde a mãe a deitara.
A chuva caía lentamente como um canto de embalar. Aqui e ali frias gotas de água rolavam pelo tecto de telha-vã e iam cair no solo de altos e baixos do casebre, onde a recém-nascida dormia. O vento lá fora num leve murmúrio parecia dizer: " dorme que a vida é longo esperança e longa paciência".
Foram decorridos cinco anos. Aos caseiros mais dois filhos nasceram.

3 comentários:

ISA disse...

Se eu escrevi tudo isto aqui foi para os meus amigos/as e então, não visitam? Este blog até está ligado ao spaces para ser mais simples. também sei que muitos amigos do spaces não têm endereço no bloger e não podem comentar. Obrigada
Jinhos
Isa

ISA disse...

jinhos para todos.

ISA disse...

Ler devia fazer parte da nossa vida do dia-a-dia... mas parece que não é assim... o tempo está todo ocupade com o trabalho.
jinhos

Acerca de mim

A minha foto
Tenho bom coração, bom carácter, gosto da humanidade em geral, gosto de crianças... diversão: gosto de ler, de escrever, conviver, gostava de ter amigos verdadeiros, como divorciada não gostava de envelhecer sozinha, estou em casa sempre que não trabalho... e gostava de ser mais feliz... encontrar alguém para amar e fugirmos à monotonia.