quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

* * *

Depois do almoço a senhora D. Isabel vai para a cozinha lavar a louça e Isabella saiu para a rua. Estava tão distraída a olhar com tanta atenção para uma trepadeira que não deu por chegar, junto dela, Alexandre que lhe diz: _ Olá! _ Assustada Isabella voltou-se na direcção da voz. E pronunciou: _ Olá! Como chegou aqui? Eu não dei por chegar...
_ Não? Eu cheguei agora mesmo.
_Ah!
_ Isabella pega. É o veludo _ diz o rapaz passando o embrulho para as mãos da rapariga.
_ Obrigada!
_ De nada. Eu quero ver-te com o vestido antes de sair para a viagem.
_ E quando vai viajar?
_ Estou de férias um mês.
_ Está bem. Eu vou começar a costurá-lo para a semana.
O rapaz olha-a com admiração e pergunta-lhe: _ Isabella, não tens trabalhado nestes dias?
_ Não. Não tem havido peixe...
_ Pois. Eu tenho ido todos os dias à tua espera e nunca mais te vi a partir daquele dia que nos encontrámos.
_ Claro, eu não tenho ido.
O rapaz recioso pergunta: _ A tua avó está em casa?
_ Está na cozinha a lavar a louça.
_ Ela não vai ralhar comigo, por eu estar aqui?
_ Não sei!
_ Olha meu amor. Eu quero falar com a tua avó, mas prepara-a tu primeiro.
_ Para quê?
_ Para quê, Isabella! Então nós não nos amamos?
_ Eu ainda não lhe disse que sim.
_ Claro. E então? O que me vais dizer? Sim ou não?
_ Ainda não pensei!
_ Eu...
O rapaz ai para falar, mas ao olhá-la nos lábios puxa-a para si e beija-a nos lábios rubros e palpitamtes.
_ Alexandre! A minha avó... deixe-me! Eu grito.
_ Meu amor querido, a tua avó não nos viu.
_ Mas podia nos ter viste. Vá embora! Não o quero ver mais.
_ Meu amor perdoa-me! Perdoas-me Isabella?
_ Não.
Dizendo as últimas palavras Isabella deixa-o e vai para casa. Alexandre triste, de cabeça baixa, volta também para sua casa. Ao entrar em casa vai direito ao seu quarto e resolve escreve uma carta.

Sem comentários:

Acerca de mim

A minha foto
Tenho bom coração, bom carácter, gosto da humanidade em geral, gosto de crianças... diversão: gosto de ler, de escrever, conviver, gostava de ter amigos verdadeiros, como divorciada não gostava de envelhecer sozinha, estou em casa sempre que não trabalho... e gostava de ser mais feliz... encontrar alguém para amar e fugirmos à monotonia.